quarta-feira, 31 de outubro de 2007

UmA ViSãO CoMpRoMeTeDoRa Do CaSaMeNtO

Há esperança para qualquer casamento quando o marido e a mulher valorizam o propósito de Deus de se comprometerem a viver segundo esse propósito, no seu relacionamento. Até os casamentos que são colocados em perigo pelo adultério, podem ser restaurados, embora seja um processo muito difícil.
O desígnio de Deus para o casamento envolve um homem e uma mulher, compreendidos numa união permanente para toda a vida. “Até que a morte nos separe” são muito mais do que palavras poéticas tradicionais. Elas expressam o desejo de Deus para duas pessoas que se casam.
Na ideia de Deus, um homem casa com uma mulher. Então, um homem casar com outro homem ou uma mulher com outra mulher, viola a intenção de Deus.
Um casal que vive de acordo com o desígnio de Deus está consciente do facto de que foi Deus que os uniu. Um dos mais extraordinários mistérios é que Deus une um homem e uma mulher em casamento, eles passam a ser um só. Só Deus pode fazer este milagre!
Deus leva o casamento muito a sério, assim deve acontecer connosco. Quando o marido ou a esposa não leva este compromisso a sério, os problemas no casamento estão à espreita, mas quando lhe dão valor, o casamento torna-se cada vez mais forte.

O marido e a mulher têm tarefas específicas na sua relação. Embora diferentes, as responsabilidades de cada um têm igual importância.
A esposa é responsável por ser uma ajudadora idónea do seu marido. Quando Deus criou a primeira mulher, era isso que tinha em mente (Génesis 2:18). Ajudadora não significa que a mulher é menos que o homem, pelo contrário, ela tem o mesmo valor que ele. Esta palavra aponta uma acção de apoio ao marido. A mulher deve submeter-se ao marido (Efésios 5:22-25) e deve respeitá-lo (Efésios 5:33). Estas responsabilidades são de muita importância.
O marido é responsável por orientar a sua família (Efésios5:23). Ser o cabeça do lar não é um título, mas uma função. Assim como uma mulher deve dar apoio, o marido deve dar liderança. É incumbência dele não descurar a responsabilidade de amar a mulher (Efésios 5:25). Para isso não chega dizer à esposa que a ama. Ele expressa que a ama ao sacrificar os seus próprios interesses por ela.
Se um dos dois cumpre com zelo as suas responsabilidades, o outro sentir-se-á mais motivado a cumprir as suas e a relação do casamento ficará mais fortalecida.

Sei que estou a escrever sobre algo muito polémico, mas é a Palavra de Deus que apresenta esta verdade.
Nestes assuntos, muitas pessoas não querem saber da Palavra de Deus, acham melhor seguir a sua própria vontade.
Qual das duas opções estamos a valorizar? A vontade de Deus ou a visão da sociedade?

10 comentários:

Barão Van Blogh disse...

Deus une sem ser necessário cerimonia , basta acreditar e, ter fé, as responsabilidades devem ser encaradas como um complemento da vida comum , nem tudo são rosas , nem tudo são espinhos .

Um beijo poético ...

Luz disse...

Certamente não respeito a vontade de Deus, mas jamais me guiarei pela visão da sociedade.

Concordo com muito mas caso "(...) A mulher deve submeter-se ao marido (...)" signifique sujeitar, subjugar não concordo de todo, nem vice-versa (embora o vice-versa não seja a vontade de Deus).

Se para aceitar Jesus na minha vida tenho de, como mulher, cumprir estes "requisitos" não sei como o irei aceitar, porque isto não farei. E entenda-se que se não farei não é por ser o meu marido, é porque não o faço com ninguém... Vejo quem o faça a toda a hora, com o marido, com restante a família, com a entidade patronal, com a sociedade. Eu respeito todos mas não me submeto a ninguém.

Bjs

Luz

Lisá disse...

Eu entendo-te Luz…
Gostaria muito de ajudar-te a aceitar Jesus, pois sei que esta é a decisão mais importante para qualquer homem ou mulher. Depois, entendemos que os ensinamentos de Deus são para que vivamos uma vida plena, em abundância.
Se alguma vez achares que eu não estou a ajudar-te o suficiente, por favor, diz sem receios.
Sei que outras pessoas também gostariam de ajudar como, aliás, já aconteceu noutro blogue. Portanto, pessoal, tenham liberdade para escrever!!!

Vou tentar que percebas o que significa a submissão no casamento, segundo o padrão de Deus.
Há uma diferença entre submissão e obediência total. Portanto, é possível estar em plena submissão a uma autoridade e não obedecê-la totalmente, pois a submissão está relacionada a governo e a autoridade, enquanto que obediência está relacionada a atitudes.
O que é submissão? A palavra Submissão deriva de duas palavras: Sub, que quer dizer “debaixo de” e Missão, que significa “vocação”. Então, submissão é exercer missão de apoio ou de auxílio. Deve ser a mais forte demonstração de amor da esposa pelo marido.
O que não é submissão? Não é ser escrava, não significa ser inferior e não significa dizer que a mulher não possa opinar ou sugerir nas decisões do lar.
A Bíblia não aplica a submissão da esposa a todas as áreas da experiência humana. A instrução é específica ao contexto da vida de uma família cristã e não se aplica à política, aos negócios e nem mesmo à Igreja.
Aliás, a mulher não deve esconder-se atrás desta submissão para se livrar das suas responsabilidades, como Eva tentou fazer.
A mulher tem o direito e o dever de discordar do seu marido, se for o caso.
O marido não deve tratar a sua esposa como pessoa inferior, como se fosse ele um ditador que reinasse sobre a sua mulher, como se ela fosse incapaz, humilhando-a, vigiando-a, proibindo-a disto ou daquilo, tratando-a como empregada ou prostituta particular. Segundo o padrão de Deus, o marido não deve cometer violência, física ou psicológica, contra a sua esposa, porque Deus não é cúmplice da covardia.
A submissão feminina, biblicamente entendida, é a afirmação de que o relacionamento entre marido e mulher deve ser exclusivo, no sentido de se ser um para o outro. O amor e o cuidado devem ser mútuos, um servindo o outro. Um não é mais importante do que o outro aos olhos de Deus. Casados, devem gastar tempo juntos, fazer planos juntos, criar juntos os seus filhos.
A submissão feminina, biblicamente entendida, quer dizer que uma família precisa de uma liderança. Nenhum organismo social vive sem uma liderança.
No entanto, vivemos num mundo decadente, onde estão presentes o abandono, a infidelidade, a insanidade, a violência doméstica e a dependência química.
Nestas condições, a esposa deverá tomar a liderança do casal e da família, para que a tragédia não seja maior.
Uma esposa física ou emocionalmente agredida pelo seu marido está desobrigada de aceitar a violência como decorrência da liderança masculina. A violência de um homem desqualifica-o como líder.
A submissão feminina tem o mesmo peso que o amor masculino. Devem as esposas submeter-se a seus maridos? Sim. Mas os maridos devem amar as suas esposas. Amar é a forma masculina da submissão feminina.
Numa família que procura viver segundo o padrão de Deus, o marido assume o seu papel, amando a sua esposa, amando os seus filhos, não se impõe com frases do tipo "aqui quem manda sou eu", próprias dos fracos.
Submissão é uma atitude do coração, não um acto. Se for baseado na autoridade, o casamento fracassará, mesmo que os dois continuem a coabitar. O relacionamento no casamento não é de hierarquia, com o marido no trono e a mulher no chão, mas de parceria.
Agora podes perguntar-me: És sempre submissa ao teu marido?
E eu respondo: Não. Não sou perfeita, vivo num processo. Nem mesmo o meu marido, muitas vezes, manifesta o seu amor por mim, abdicando dos seus interesses em prol dos meus. No entanto, sei que à medida que eu me esforçar por melhorar nas minhas responsabilidades, como esposa, ele irá também melhorar e vice-versa.

Luz, não temos de esperar até fazermos tudo conforme a Palavra de Deus para aceitar Jesus. Se assim fosse quem seria salvo?
Aceitar Jesus é a decisão urgente, depois o Espírito Santo ajudar-nos-á e trará direcção para a nossa vida.
Ajudei? Espero que sim.

P.S. Por favor ajudem-me a ajudar a Luz, talvez alguém seja capaz de ser mais claro e objectivo.

Luz disse...

Estás a ser clara e objectiva... a dificuldade é minha não tua!

Sabes que os conceitos errados que me mostraram no passado também me dificultam...

Obrigada

Um beijinho.

Luz

Elisheba disse...

Olá Lisa! Adorei a forma como abordaste este tema tão importante pois daqui parte tudo.Importante e delicado. Cada vez mais há casamentos desestruturados, resultado de um ataque feroz de Satanás.Destruindo familias, detroi tudo.

Li com muita atenção a tua resposta á Luz e julgo que foste muito clara na mensagem.Mas sabemos que quem "convence" é o Espirito Santo.Nao é necessario esforçares-te muito.Foste sucinta e mostraste bem o plano de Deus nas nas nossas vidas, nesta área especificamente.

Eu j´apassei por uma casamento desastroso, que trouxe as suas consequencias e depois por um inevitavel divorcio.Nao era crente e muito menos ele.
Actualmente estou casada e digo que apesar de o meu marido nao ser crente está a caminho.È muito mais fácil quando são ambos crentes para caminharem na mesma direcção mas o nosso Deus é o Deus dos impossiveis.E olha que Ele já me moldou para me "submeter" (na Visao de Deus) ao meu marido pois antes nao era capaz.
Deus é maravilhoso e restaurador.Tenho uma nova familia, abençoada.Apos ter sofrido tanto, chegou o tempo de bonaça:)

È muito dificil alguem que nao conhece o Plano de Deus aceitar esta palavra "que temos de nos sujeitar ao nossos maridos", pois o mundo nao o pode fazer devido ao desiquilibrio que existe tanto nos homens como nas mulheres.Alem do mais, o Mundo escravisou demasiado a Mulher dai ela nao conseguir submeter-se.Verdade é que este padrao masculino que existe nada tem a ver com o PADRAO QUE DEUS QUER DO HOMEM E PARA O QUAL O CRIOU.As igrejas na sua maioria tambem peca pelo facto de pregaem mais sobre a submissao feminina e nunca falarem do que deus exige do marido.Seria tambem muito mais claro e facil para qualquer mulher aceitar pois normalmente REVOLTAM-SE CONTRA DEUS ao invez de se aperceberem que SÃO OS HOMENS QUE NAO PREGAM A VERDADEIRA PALAVRA, A VERDADE e só trazem condenação.

Um beijo e bom fim de semana

Manela disse...

Quando li o post sobre o casamento também tive uma reacção igual à da Luz. Separada à muitos anos e com uma visão do casamento muito sombria, algumas palavras rejeitei-as imediatamente. Sujeição, submissão,(frases bíblicas que sempre me incomodaram) fizeram acordar em mim, humilhação, menosprezo, falta de respeito. No entanto ao ler o comentário da Pastora Lisá, entendi o verdadeiro sentido do querer de DEUS e lamento profundamente não ter conhecimento da Palavra naquela altura (ainda não tinha aceite Jesus). Acredito sinceramente que o caminho tinha sido outro e não me teria tornado uma mulher amarga, árida e frustrada nos relacionamentos. As palavras que parecem submeter-nos, podem ser afinal o caminho para a felicidade, com a bênção do SENHOR. ELE quer o melhor para nós, por isso aquelas palavras fazem todo o sentido. Obrigado Lisá pela tua sabedoria, és verdadeiramente uma mulher de DEUS. Beijinhos

Sara Campos disse...

Gostei muito da tua explicação lisá.
São assuntos que geram muita confusão pois palavras como submissão não são muito agradáveis quando são pronunciadas, especialmente nos dias de hoje.
O casamento é um compromisso de carácter e nesse compromisso, tanto a mulher como o marido têm as suas responsabilidades.
Fala-se muito da submissão mas é igualmente importante o marido amar a sua própria mulher, como a seu próprio corpo.
A Bíblia refere que "Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo".
Tanto o homem como a mulher não devem descurar as suas tarefas na relação.
Actualmente, o casamento é banal. Está fora de moda. Cada um faz o que entende. Juntam-se e se dá tudo bem, se não dá...separam-se e "cada um vai à sua vida". É o que é mais prático, descartável e não existem obrigações.
O desafio de um casamento dentro dos padrões bíblicos é precisamente o compromisso e a responsabilidade de amarem um ao outro como a si mesmos, é o de viverem uma vida de respeito mútuo e viverem em obediência à Palavra de Deus.
É serem um só!
Um grande beijo e obrigada pela partilha. Vou casar para o próximo ano e amei ler este teu pensamento :D
beijinhos

Marlene Maravilha disse...

Tema importantíssomo para a família!
O que menos as pessoas querem é fazer a vontade de Deus e nem imaginam a grandiosidade da submissäo. Eu também custei muito a entender de fato o que seria a tal submissäo que tanto incomoda as pessoas. Ser obediente nao custa caro como as pessoas pensam, nao é verdade??
Lindo tem querida. Deus te abencoe muito e um lindo final de semana!
Sempre que falo contigo vejo Setubal!!! Eu amo este lugar e aí vivi momentos muito lindos e apaixonados.
carinhos,

Anónimo disse...

E a esfera continua a crescer!
Este bilhete postal não é uma visão, não é comprometedor e para alguns segmentos da sociedade cristã...não é polémico.
Mas é sempre bom relembrar estes princípios.
Keep up the good work!!

Ana disse...

Sirvo a Deus no meu coração.

E o que dizes faz coro em meu peito.
Amor verdadeiro é doação, respeito, responsabilidade...
E o que dizes não é diferente disso.
Digo isso sobre todas as esferas do relacionamento, incluso a sexual.
Uma mulher emocionalmente cuidada é espontaneamente auxiliar digna de seu homem.

Entendo que não disputaremos, e sim nos uniremos.

Sou leiga, não falo por convencimento das escrituras, e sim por entendimento de alma.

São meros pitacos do meu peito.

Bjs